Monólogo

By 11:56 PM


Estou sentada aqui fumando meu cigarro, a TV sussurrando no fundo, eu tenho esse péssimo hábito de largar a televisão ligada embora eu sequer tenha noção do que está no ar agora. As vezes uma musica bonita prende minha atenção e até atrevo uma espiadela, mas logo me perco no meu mundinho virtual novamente.
Se buscas uma definição pra inútil, com certeza encontrará meu fim de semana, eu de fato não fiz nada que possa ser julgado util, ok ok, pra não ser tão exagerada, eu resolvi me aventurar em um "bate pernas" pela Marechal, uma rua conhecida aqui da minha cidade, onde as pessoas geralmente vão no intuito de encontrar de tudo e pela metade do preço, é interessante? Sim, mas o barato sempre sai caro, basicamente porque é irritante, imagine-se andando em um lugar abarrotado de todos os estereótipos possíveis, as senhoras que bloqueiam os corredores das lojas de 1,99 enquanto vasculham - sem objetivo aparente - entre milhares de prateleiras, temos também as crianças cujas mães as arrastam rua afora enquanto seus gritos ensurdecedores se fundem as buzinas dos carros, nessas horas eu agradeço por ainda não ser mãe, ou então simplesmente registro aquele fato, para me assegurar que não serei tão carrasca no futuro (acho que já falhei nessa).
Aproveitando o tópico de mães carrascas, eu me estarreço com tamanha brutalidade com a qual as mães tratam seus filhos nas ruas, por várias vezes me deparei com algumas que estapeavam seus pequenos no supermercado, apenas porque eles choravam ao perderem a batalha do brinquedo do momento. Porque ser mãe se vc vai descontar toda a sua magoa pela vida em seu filho? Não é culpa dele(a) se sua vida é medíocre, sofrida, ou pior, se vc optou pela promiscuidade ao invés de tentar discernir entre o certo e o errado. Vc que deveria ser esbofeteada, não ele(a). Mas, eu sei que cada um colhe o que planta, então...nevermind.

Deixando o bla bla bla de lado, minha aventura pela Marechal teve seu lado proveitoso, afinal, pude comprar algumas bobeirinhas que eu precisava, mas nada realmente importante, é apenas aquele desejo constante que as mulheres tem, em sempre comprar algo. Meu alvo da vez foram tic-tacs (aquelas fivelinhas de cabelo). Vejam bem, eu vivo em guerra com minhas madeixas, e por isso, estou sempre suprindo meu estoque de armas poderosíssimas que me auxiliarão na próxima batalha, a parte triste é que algumas armas se tornam ineficazes nas minhas mãos, principalmente tic-tacs, porque? Porque no ínicio de uma semana, eu tenho 30 deles - lindos, coloridos, alguns tem até strass - e poucos dias depois, a quantidade se reduz drasticamente para 5, eu perco todos, simplesmente porque acabo os tirando do cabelo e jogando-os em qualquer lugar, e como minha memória é igual a de um elefante, eu esqueço completamente dos meus "esconderijos".

Changing the subject, eu estou em crise de abstinência, não leio um livro há umas duas semanas e estou em depressão profunda. Eu comprei dois recentemente pela internet, mas vim a descobrir que só os receberei no fim de novembro, inacreditável. Mas, claro que foi culpa minha, minha falta de atenção deixou passar em branco um aviso importantíssimo no site que dizia que eles não tinham os livros no estoque e que eles seriam encomendados, ou seja, a entrega só ocorreria em cerca de 6 semanas. Ponto pra mim, por burrice, claro.

Bom, vou ficando por aqui, com as pernas doloridas e com alguns planos (que provavelmente não serão concretizados) para o fim de semana que vem.

PS: Já comprei meu ingresso pra assistir Lua Nova, que só estreiará daqui um mês...sou viciada? Magina, impressão sua.

You Might Also Like

2 comments