500 dias com ela

By 10:47 PM

Hoje revia o filme "500 dias com ela" e não vou dizer que é o melhor filme que já vi na vida, mas eu realmente adoro essas histórias que nos fazem divagar por horas a fio.

"O que se sabe sobre relacionamentos? Simples: Homens não querem compromissos e mulheres gostam de romance.
Hmm, não exatamente, as vezes as coisas tomam rumos diferentes. Principalmente se ele for meio inseguro e ela um tanto desencanada.
Bem, desencanada é pouco, Summer (Zooey Deschanel - não sei porque sinto que esse nome tem tudo a ver com a personagem) está mais para alternativa, meio underground. Sempre com um visual meio anos 60, tem um ar avoado e independente. Do tipo que não se apaixona fácil, para desilusão de Tom (Joseph Gordon-Levitt), um arquiteto formado, mas que ganha a vida escrevendo cartões comemorativos.

Resumindo a história (sem spoiler), Tom se apaixona pela nova colega de trabalho, Summer. Ambos vivem um relacionamento, meio amizade colorida mas encarado como compromisso por Tom.
Tom é inseguro e imaturo. Summer independente e descrente sobre sentimentos. E, como não podia deixar de ser, a corda sempre quebra do lado mais fraco, e Tom vê sua vida desmoronar quando Summer rompe o relacionamento, e passa a recorda os 500 dias que passou ao seu lado, rememorando (aleatoriamente) momentos tristes e felizes que viveram, procurando entender o que deu errado.

Ex-produtor de videoclipes, o estreante diretor Marc Webb acerta em cheio com um romance leve e divertido, dando uma renovada na velha fórmula do estilo. Uma das minhas reclamações sobre comédias-românticas é que sabemos como elas irão terminar. Isso não acontece em "500 Dias...". Bem, de certa forma sabemos, mas ainda assim o final agrada bastante.
O diretor apenas erra ao exagerar na visão masculina, mostrando todos os homens como imaturos e inseguros (mesmo erro de "PS: Eu Te Amo", onde todos os homes possuem um corpão e uma cabecinha). Isso seria perdoável, se não fosse o fato de, no grupo de amigos de Tom, uma garotinha de 10 anos ser a mais madura de todos. Ok, sabemos que as mulheres amadurecem mais rápido, mas sem exageros (por essas e outras que considero "Ele não Está tão a fim de Você" uma das melhores comédias-românticas do ano. Retrata bem a personalidade dos personagens e o que eles representam).

Mas se o diretor erra nesse ponto acerta em cheio na trilha sonora. Em "500 dias..." a experiência em videoclipes faz toda a diferença.
A trilha sonora é de primeira, com grandes sucessos de várias décadas que vão de The Smiths á Carla Bruni.
Diferente da maioria dos filmes, aqui a cena é pensada de acordo com a música, e não o contrário, e o resultado é no mínimo excelente. Um conselho, veja o filme e baixe a trilha sonora. Vale muito a pena!!

Como estreou há algum tempo, 500 Dias com Ela já saiu de cartaz da maioria das salas, mas procurando ainda é possível encontrar. Vale a pena ver (e rever) no cinema.
É um filme sensível e divertido. Impossível não se encontrar retratado em algum momento vivido por Tom ou Summer. Um filme para quem já viveu um romance "descompromissado", mas daqueles que marcam. E para aqueles que não viveram, vale para entender o quanto deve-se valorizar e viver os momentos, enquanto o verão não se vai e chega o outono."
Fonte: Forum Outer space

Eu particularmente gostei do filme por ser daqueles que nos fazem desenterrar o passado e comparar com todas as coisas que vivemos ao longo de nossas vidas. Afinal, quem nunca viveu um romance unilateral? Quem nunca se entregou a um falso conto de fadas e no fim teve o coração dilacerado?

Depois de tê-lo assistido, fiquei relembrando de meus momentos como Tom e de outros como Summer, claro que focando mais nas inúmeras vezes em que fui tão tola quanto Tom - coisa de mulher.
Além disso, o filme também mostra que a vida é uma caixinha de surpresas e que devemos aproveitar ao máximo cada segundo de algo que nos é proporcionado, pois nunca sabemos quão eterno ele de fato será.

Assistam-no, eu recomendo :)

You Might Also Like

2 comments