The closed door

By 12:09 AM

Ah quão tola és Maria. Ela pensava continuamente.

Maria tentava superar a falta que sentia de João e embora ainda pensasse nele, estava obtendo sucesso em sua árdua tarefa. Mas foi em uma segunda-feira acinzentada e comum, que Maria se deparou com o inesperado.

Enquanto atualizava seu blog particular, notou por intermédio de um programa que sequer utilizava, que João lia seus textos diariamente. O coração de Maria disparou imediatamente, ela fora tomada por euforia e também por milhares de "porquês". Entre tantos, estava a pergunta mais pertinente: João não a esquecera então?
E Maria, ao invés de continuar sua jornada e focar em seu futuro com Joaquim, resolveu desenterrar o passado, acreditando haver esperança ali. Ah, quão tola.

Maria procurou João e para sua surpresa, fora recebida com aspereza. Mas porque alguém leria seus textos melo-dramáticos e infundados se não por algum interesse?
Maria acreditou que toda a indiferença de João nada mais era do que um escudo e ela continuou a fertilizar o solo, achando que João eventualmente abriria o jogo, que a pediria para deixar Joaquim para que pudessem voltar a se ver novamente. Mas tal desejo nunca se concretizou, João continuou desinteressante e monossilábico.

E eis que outro defeito de Maria vem à tona: a ansiedade. Maria não sabe esperar, não sabe deixar o destino nas mãos do tempo. Sua negatividade a tornou imediatista e impulsiva, ela prefere não adiar o sofrimento inevitável, antes hoje...do que amanhã. E Maria resolveu contar a verdade a João, e por mais que esperasse João admitir sentir falta dela, ela sabia que não aconteceria. Ela sabia que João - mais uma vez - a jogaria às traças. E mesmo diante do óbvio, ela foi perseverante.
Mas como esperado, João negou qualquer sentimento da parte dele. Disse apenas ler seus textos por mera preocupação, pois queria certificar-se de que Maria estava bem. E Maria sentiu seu coração ser despedaçado pela segunda - e última - vez. E embora ela não tenha acreditado nas meias-verdades de João, ela o deixaria em paz, pois Maria sabe que, como Joaquim, ela também é um partidão, e que ela deveria dar chances à quem a enxerga e não à quem a tenta apagar.

João preferiu seguir sua vida com a descomplicação de Joaquina, Josefina, Francisca a ter que lidar com a intensidade de Maria. Já Maria, resolveu finalmente deixar Joaquim entrar, afinal, vc nunca sabe o quão importante alguém pode ser em sua vida enquanto não lhe der a devida chance.

João perdeu Maria, talvez ele realmente não se importe - como afirmou outrora, ou talvez ele apenas tente enganar a si mesmo, afinal, é mais fácil viver assim, com a falsa ilusão de que não precisamos de algo. Infelizmente não há respostas. Mas Maria já não se importa, pois uma porta se fechou, para outra se abrir. E Maria nunca esquecerá João e de como ele a fez sentir-se viva novamente. Mas todas as loucuras e novas experiências que Maria queria com João, agora serão vividas com Joaquim, que anseia por Maria e que a deseja como ela queria que João a desejasse.

João queria sua liberdade e agora ele a tem.

You Might Also Like

1 comments