Redenção

By 7:32 PM

Semana passada começou com uma mistura de sentimentos. Medo, frustração, saudade, alegria, entusiasmo e por aí vai.
Resolvi tentar dar um rumo em minha vida de uma vez por todas e por conta disso, tive que abrir mão do meu atual trabalho. Por um lado, minha decisão me deixou contente, pois eu realmente não aguentava mais toda a tensão que pairava sobre aquele lugar. Mas ela também me deixou muito triste, pois todos os professores são como uma família, por isso, sentirei falta das risadas diárias, das reclamações, dos momentos que passamos sentados no sofá azul encardido. O pior momento será de fato amanhã, pois é meu última dia de trabalho lá, só de pensar eu sinto aquele nó surgindo na minha garganta. Mas acho que tudo faz parte, não é?

Agora falando sobre coisas alegres, posso arriscar dizer que tive um final de semana maravilhoso. Ontem acordei um pouco desanimada, fui trabalhar e as horas se arrastaram. Ao sair da escola o desanimo aumentou ainda mais ao sentir aquele sol ardido, cadê o frio?
À tarde, tentei me ocupar pra não ficar enfurnada em casa pensando bobagens. Saí com minha família em busca de móveis pro meu quarto. Mudei de quarto há pouco tempo e até hoje não o mobiliei adequadamente, há apenas uma cama, uma mesinha e um abajur. Recentemente pintei as paredes e agora falta apenas a decoração. Quando fecho os olhos, consigo vê-la perfeitamente em minha cabeça. Uma poltrona roxa com um puf na frente pra eu poder sentar e ler e prateleiras onde eu possa colocar todos os meus livros. Ficará lindo.

Cheguei em casa já no fim da tarde e o desanimo prevalecia, junto com ele havia a contínua pergunta: "Sair ou não sair?". E em meio aquele turbilhão de pensamentos, cheguei a uma solução simples: eu iria e caso tudo estivesse péssimo, viria embora. E com a decisão tomada, comecei a caçar pela melhor roupa.
Após algumas horas e centenas de modelitos espalhados sobre a cama, optei por usar um vestido, apesar deles geralmente serem os últimos na minha lista de possibilidades. Ao finalizar a etapa principal com a roupa, me maquiei e me perfumei. Pouco antes de sair, tentei expulsar todo pequeno fragmento de energia negativa de dentro de mim, afinal, já que é pra sair, que não seja pra ficar com "cara de bunda".

Em suma, a noite foi infinitamente melhor do que eu esperava. Há tempos eu não ria e me divertia tanto, claro que o alcool auxiliou um pouco em alcançar o objetivo, mas independente disso, foi ótimo. E o engraçado é quando vc pensa "Ah, já acabou?" e a resposta chega quase como um relâmpago. O celular toca e ao atender, vc ouve "Estou aqui" e mesmo que ainda incrédula, desce as escadas correndo, segurando o vestido com as mãos e fazendo o possível para não tropeçar com o salto. No pé da escada, aquele rosto familiar te procura com uma certa tensão e te encontra sorridente, vc abre os braços em comemoração e é indescritível a sensação do abraço apertado que vc recebe.

E no fim da noite, ao deitar na minha cama, eu fiquei feliz por não ter sucumbido àquela angústia irritante que tentou me consumir o dia inteiro. E pensei no quanto eu ia ter perdido se tivesse cedido e ficado em casa.

Hoje, domingo, acordei espirrando sem parar e com o corpo meio dolorido. Acho que é esse o preço que pago por ter usado um vestido mega-curto e ter saído na rua no friozinho das 5 da madrugada. Mas valeu à pena :)

Amanhã será um dia tenso e espero que eu consiga passar por ele sem choradeira. Rezem por mim.
Have a nice week everyone!

You Might Also Like

0 comments